Linhas de Pesquisas

Algodão

Pesquisa em Melhoramento Genético

 

-Melhoramento do algodoeiro para obtenção de cultivares de alta produtividade, resistente à doenças e nematoides e elevada qualidade de ñbra;

– Incorporação de transgenes (Bollgardll + Roundup Ready Flex), para obtenção de cultivares tolerantes a herbicidas e resistentes a lagartas com adaptação ao Oeste Baiano;

– Lançamento das primeiras cultivares resistentes a herbicidas e lagartas (safra 2016/17): BRS 430, B2RF, BRS 432 B2RF, BRS 433 FL B2RF;

 

Adoção de Cultivares

 

– Implantação de áreas demonstrativas com cultivares de algodoeiro;

– Visitas técnicas com participação de produtores e agrônomos;

– Dia de campo com as novas cultivares de algodoeiro;

– Workshop de apresentação anual dos resultados obtidos;

– Aumento da oferta de sementes das novas cultivares de algodoeiro transgênico em lançamento.

Café

–  Estudo de espaçamento na linha de cafeeiros no Oeste da Bahia

–  Estudo de doses e efeitos do Glifosato em lavouras cafeeiras no Oeste da Bahia

Milho

– Seleção de espécies de plantas e estratégias para formação de biomassa e cobertura do solo;
– Estudos de sistema de cultivo, manejo do solo e rotação de culturas no Oeste Baiano;
– Estudos de manejos para adubação nitrogenada do algodoeiro;
– Estudos de densidade e população de plantas sobre o crescimento e produtividade do algodoeiro;
– Destruição dos restos culturais do algodoeiro resistente ao glifosato.

Soja

– Implantação de áreas demonstrativas;

– Melhoramento da soja com ênfase em produtividade e adaptação à região do MATOPIBA;

– Desenvolvimento de novas cultivares de soja, visando atender demandas emergenciais (precocidade, resistência a doenças e nematoides), contemplando as tecnologias: convencionais, transgênicas tolerantes ao herbicida glifosato – RR1, transgênicas RR2Bt e transgênicas Cultivance (resistência ao herbicida do grupo das imidazolinonas);

– Definição e ajuste dos parâmetros fitotécnicos das novas variedades de soja com cultivares de algodoeiro.

Solos e Nutrição de Plantas

– Eficiência agronômica/econômica de corretivos (cálcicos e magnesianos) da acidez do solo e fertilizantes nitrogenados (liberação controlada), fluidos, fosfatados (naturais, termofosfatos e acidulados) e organominerais;

– Uso de bioestimulantes vegetais, bioativadores de solo e nutrição foliar;

– Adequação e manejo de nutrientes para as principais espécies cultivadas na região;

– Uso de polímeros hidrorretentores para atenuação de estresse hídrico;

– Comportamento de cultivares de soja e milho (híbridos) sob diferentes espaçamentos e população;

– Variabilidade físico-química do solo avaliada pela condutividade elétrica e semeadura da cultura do algodão em taxa variável;

– Identificação de indicadores críticos e padrões agronômicos em lavouras de alta produtividade de soja.