Realizada mais uma edição da Passarela da Soja e do Milho

Fundação Bahia e Embrapa: a inspiração tecnológica para produtores do MATOPIBA

Tecnologia, sustentabilidade e rentabilidade, foram as palavras de ordem da Passarela da Soja e do Milho 2017, realizada pela Fundação Bahia e Embrapa, no sábado, 04 de março em Luís Eduardo Magalhães, que reafirmou que é a força do agronegócio na região, reunindo mais de 700 participantes, entre eles, produtores, consultores, tradings, associações de classe, instituições de ensino e pesquisa, além de outros participantes ligados ao agronegócio.

“Há 20 anos, independente de todas as crises, o agronegócio tem sido positivo na região. Precisamos continuar essa história, e para isso, é indiscutível a necessidade de pesquisas. Graças à parceria com a Embrapa conseguimos evoluir e podemos ir muito mais longe. Com pesquisa é possível trazer cada vez mais tecnologia, sustentabilidade e rentabilidade para o agronegócio da região, gerando emprego e distribuição de renda”, disse o produtor e presidente da Fundação Bahia, Ademar Marçal.

Com quatro estações técnicas os participantes tiveram a oportunidade de ouvir, logo na primeira estação, sobre o ‘Grande potencial Produtivo das BRS na Cultura da Soja’, com os palestrantes Dr. André Ferreira (Embrapa) e o Engº. Agrº Eugênio Pires (Fundação Bahia). Na segunda, o tema foi ‘Arranjo de Plantas de Soja e suas Interações Fisiológicas’, com Dr. Leonardo Campos (Embrapa). Já na terceira, os participantes ouviram sobre ‘Sistemas de cultivo VS Nematoide’, com Dr. Fabiano Perina (Embrapa) e Dr. Júlio Bogiani (Embrapa). Por último, e quarta estação, foi abordado sobre ‘Enfezamento em Milho’, com Dr. Rodrigo Veras (Embrapa).

Nos plot’s demonstrativos foram apresentados as novas cultivares da Fundação Bahia/Embrapa, Fertilidade do solo e Manejo Nutricional e Fisiológico na Cultura da Soja e do Milho, Sistema de cultivo VS Nematóide, Vitrines tecnológicas/variedades comerciais de soja e do milho e a grande novidade que foi o Minilaboratório para identificação de nematóides.

Os participantes passaram por quatro estações com palestras e plot’s demonstrativos
“O resultado da região é a soma de esforços individuais com objetivos comuns. Ciente disso, eu tenho um objetivo que é plantar todo o refúgio com as sementes da Fundação Bahia/Embrapa. Nessa última safra, já colhemos cerca de 200 ha, e o meu conselho como produtor é que usemos o que as nossas entidades tem pesquisado, façamos o nosso refúgio, de preferência, com essas variedades, e isso dará sustentabilidade à Fundação Bahia a longo prazo”, enfatizou o produtor e presidente da Aiba, Celestino Zanella, que relatou sobre a sua experiência com a escolha das variedades da Fundação Bahia/Embrapa.

Pela primeira vez na Passarela, os professores da área de Química da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB), falaram sobre as primeiras impressões sobre o evento. “Vimos aqui um poder muito grande de disseminação do conhecimento. Existe, naturalmente, uma dificuldade de se passar conhecimento científico, e o que podemos presenciar, foram pesquisadores fazendo isso com muita facilidade. Conseguimos enxergar que todas essas novas tecnologias são muito importantes tanto para a região, quanto para os produtores que buscam lucratividade e sustentabilidade, e isso é muito importante”, ressaltou o professor, Douglas Ferreira. Para a professora, Cristine Carneiro, foi interessante ver a participação de outras empresas. “É muito bom ver essas empresas participando e contribuindo com o agronegócio regional. Somos novos na região e pudemos observar que há uma parceria muito forte em toda a cadeia produtiva. Isso é importante. A UFOB também começa a se sobressair e aqui estamos para mostrar a participação da universidade nesse processo de desenvolvimento e, para isso, saímos em busca de parcerias também, com foco no desenvolvimento tecnológico da região”, disse a professora.

Além do apoio das entidades, como: Prodeagro, Abapa, IBA, Aiba, Grupo Fitossanitário, Sindicato Rural de LEM, Sindicato Rural de Barreiras, FAEB, FAAF, UNEB, UFOB, FASB, UEG, AEAB, ADAB,Governo da Bahia, Prefeitura de LEM e os agentes financeiros público e privado, o evento contou com o apoio dos seguintes patrocinadores nacionais e multinacionais com estandes, são eles: Arysta, Biovida, Bayer, Basf, JCO, Du Pont, Ihara, Louxembourg/Amasolo, Syngenta, Yara,Maxum Case , Agrosul-John Deere, Jaraguá /New Holand, os sementeiros da Fundação Bahia , Morinaga Sementes, Celeiro Sementes e Ponto Sementes.

O próximo evento da entidade será o Encontro Técnico do Café, que acontecerá dia 08 de abril no Campo Experimental da Fundação Bahia em parceira com o Abacafé e os seus parceiros. Maiores informações sobre esse evento ligue no telefone: 77 3639-3132.

Fotos: Virgilia Vieira e Negra Comunicação

  • Compartilhe: